top of page

O BEBÊ MONTESSORI: Da concepção ao primeiro ano (Parte 01)



Estamos no 2º texto da série sobre o Bebê Montessori (veja o primeiro aqui) e, hoje, daremos continuidade. Já sabemos que desde antes de nascer, os bebês já absorvem e respondem às vozes, aos sons e à música. Mas, como se preparar para a chegada do bebê até o seu primeiro ano de vida?


Antes de nascer


Na Teoria Montessoriana, utilizamos o conceito de ambiente preparado para falar sobre a importância de planejar um espaço para que a criança possa se desenvolver. Assim, consideramos que o útero é o primeiro ambiente preparado do bebê. Isso significa que desde a concepção, a mãe cuida de si para que seu corpo seja um ambiente acolhedor para seu bebê. E, todos os dias, os pais podem tirar um tempo para conversar, cantar ou tocar músicas para o bebê.


Assim, o período entre a concepção e a chegada do bebê é o momento de se preparar para dar as boas-vindas à criança que chega quase sem referências ao mundo. Dizemos "quase", porque o período da gravidez já é extremamente importante para estabelecer conexões. A voz e os batimentos cardíacos da mãe, pai e familiares servirão de referência para aquele bebê que enfrentará o desconhecido ao nascer. Serão as vozes que ele irá reconhecer e se sentir seguro, porque os pais procuraram manter uma conexão desde a gravidez.


O Primeiro Ano de Vida

A visão do recém-nascido é limitada e ele só consegue focar em algo que esteja a 20 ou 30cm de distância dele. Porém, essa é a distância focal necessária para o bebê se conectar com o rosto da mamãe e do papai. Além disso, é a distância perfeita entre os olhos dele e os olhos da mãe que o amamenta. Bonito, né?

Outro ponto importante é que essa distância contribui para que a criança comece a assistir os lábios das pessoas se movimentando e, a partir daí, desenvolva as primeiras habilidades relacionadas à linguagem.

Para isso, é importante que os cuidadores falem com clareza e sem simplificar demais as palavras. Aproveite esse momento para contar histórias e conversar bastante com o seu bebê de pertinho.

O potencial dos primeiros meses de vida


Como essa é uma fase de detalhes, é importante entender que cada atividade do primeiro ano pode ser muito mais impressionante do que parece. Atividades aparentemente simples como observar o bebê são essenciais e desperdiçar essa fase da vida não dando a devida atenção a isso, dificilmente será compensado.


Por isso, segue, abaixo, um quadro para lembrar o que é necessário observar nesse momento e quais habilidade ajudam na estimulação motora, cognitiva, social e emocional do seu bebê.



Agora, você pode guardar esse quadro para consultar sempre que precisar. Lembre-se que a observação dos pais permite ver características particulares do bebê e, mais do que isso, ajuda a entender o que acontece com ele interiormente.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário abaixo.





685 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page